O Lado Bom da Vida (resenha)

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Preciso começar dizendo que nunca entendo por que as traduções de títulos de livros e filmes em inglês ficam tão diferentes em português. Se é puro marketing ou não, o resultado é que ficam bem melhores que os originais, pena que ás vezes alguns perdem o sentido. No caso do livro de hoje, "Silver Linings Playbook", que mais ou menos traduzido é "Guia para um final feliz", prefiro ficar com o título em português mesmo. E vocês?
Decidi ver o filme quando a Jennifer Lawrence ganhou o Oscar de melhor atriz por ele. Não sei se só eu penso assim, mas não achei a atuação dela digna de um Oscar, ainda mais quando comparada a das outras atrizes que estavam concorrendo... Enfim, não gostei muito do filme e quando uma amiga me emprestou o livro dizendo que era “muito bom” e “totalmente diferente” do filme, resolvi dar mais uma chance à história de Matthew Quick e quem sabe me surpreender.
Infelizmente isso não ocorreu, o filme é muito parecido com o livro, acrescentando algumas cenas somente. O que muda mesmo é o final, onde os acontecimentos são contados de jeitos diferentes nos dois casos.
Bom, falando então do livro, ele conta a história de Pat Peoples, um professor de história que tem sua vida totalmente mudada quando descobre a traição de sua esposa Nikki. Ao ver a cena da traição, tem um colapso nervoso e ataca a esposa e o amante, quase matando este último. Perde a memória e passa uma temporada de 4 anos num hospital psiquiátrico. Quando sua mãe o tira de lá percebe que tudo mudou: volta a morar com os pais, está sem emprego e bens, seus amigos estão ocupados com as novas famílias, seu time está perdendo o campeonato e seu novo psiquiatra recomenda que ele esqueça sua ex-esposa que ainda tanto ama.
Pat agora é um novo homem e quer ser um melhor marido, por isso não mede esforços para mudar sua aparência física e sua personalidade, tentando sempre "ser gentil ao invés de ter razão", e segue boa parte do livro numa busca obsessiva em reencontrar a ex-esposa, esperando que o "tempo de separados" finalmente acabe e que eles voltem a ser felizes. O que ele não sabe é que Nikki já recomeçou sua vida com o antigo amante e possui até um decreto judicial que o proíbe de se aproximar dela.

Nesse meio tempo ele conhece Tiffany, cunhada de seu melhor amigo, que também está passando por momentos difíceis como ele. Tiffany é viúva, bipolar, adora dançar e chantageia Pat para que dance com ela num Concurso dizendo que irá ajudá-lo a reconquistar a esposa somente se ganharem. No final das contas ela estava mentindo e acabou confessando que fez tudo isso porque estava gostando dele e queria que ele reconstruísse sua vida com ela. Como acho que nem é mais spoiler, posso dizer resumidamente que eles acabam ficando juntos, mas acontecem muitas coisas durante esse período que não vou contar pra não estragar o prazer da leitura.
Se você já viu o filme, não aconselho a ler o livro, a menos que queira muito saber os outros detalhes que o autor colocou. Pra quem ainda não viu, o livro talvez seja uma leitura bem gostosa e leve, mostrando que todo mundo tem um pouquinho de loucura dentro de si, ainda que não diagnosticada.


Uma boa leitura!

Nenhum comentário

Postar um comentário