Gente que se acha

domingo, 15 de março de 2015

Texto publicado no portal "O Lorenense" em 09/03/2015
Veja mais em: http://www.olorenense.com.br/colunista.php?c=9



Gente que se acha
Se tem algo que irrita todo mundo é gente que se acha. Juro que não entendo o prazer que algumas pessoas sentem em atrapalhar a vida de outras, ou de se acharem melhores que todo mundo a ponto de humilhar os demais. Difícil compreender. Mas hoje vou falar de um grupo específico na minha realidade: professores e colegas de classe.
O universo acadêmico é cheio de competições, seja de quem vai descobrir ou desenvolver algo primeiro, dos mais inteligentes, dos especialistas e até de quem está apenas iniciando esse longo caminho, procurando oportunidades e chances de aprender mais. Isso também se estende para o mercado de trabalho, porém é assunto para outro dia.
Como exemplo, cito professores que têm um vasto conhecimento em sua área, mas que não o transferem para os alunos, ou que acabam dificultando tanto a matéria que ninguém entende nada da aula. Também têm aqueles que não dão atenção suficiente e ainda subjugam os alunos, menosprezando-os diante de uma pergunta e fazendo com que se sintam cada vez mais distantes de obter sucesso na disciplina.
Na mesma moeda também vejo colegas que vivem num constante processo seletivo. Que, podendo ajudar um colega em dificuldades, não o fazem, seja para se sentirem mais importantes ou simplesmente por não se importarem. Isso sem falar dos que só querem aparecer, dos “donos da verdade" e dos “sabem tudo”, que se acham merecedores de toda atenção e respeito. É muito frustrante.
A mensagem que eu quero deixar é: ajude não só para ser ajudado, mas sim porque uma boa ação gera outra. Compartilhe conhecimento, valores, bons exemplos. Um dia se ganha e um dia se perde, é verdade, mas faça por merecer que a conquista vem pelo próprio esforço, e não por desmerecimento de alguém. Se você sabe mais, ensine. Se está numa posição mais alta, respeite, seja quem for.
E, aproveitando, vou compartilhar uma frase do filósofo Mário Sérgio Cortella, que pensou numa resposta para a arrogante pergunta “Você sabe com quem está falando?”:
“Você é um entre 7,2 bilhões de indivíduos, que pertence a uma única espécie, entre outras três milhões de espécies, que vive num planetinha, que gira em torno de uma estrelinha, que é uma entre 100 bilhões de estrelas que compõem uma galáxia, que é uma entre outras 200 bilhões de galáxias num dos universos possíveis e que vai desaparecer”.

Nenhum comentário

Postar um comentário